Sinopse:
Durante a Segunda Guerra Mundial, o médico do exército Desmond T. Doss (Abdrew Garfield) se recusa a pegar em uma arma e matar pessoas, porém, durante a Batalha de Okinawa ele trabalha na ala médica e salva mais de 75 homens, sendo condecorado. O que faz de Doss o primeiro Opositor Consciente da história norte-americana a receber a Medalha de Honra do Congresso.




Sempre fiquei me perguntando o que acontecia com homens religiosos que eram convocados a servir no exército. Eles tapavam os olhos para um dos mandamentos de Deus? Creio que nesses momentos, o instinto de sobrevivência é maior. Mas como passar por cima de todas as suas crenças e convicções por amor ao seu país? Para defender as pessoas que ama? Foi então que li uma crítica sobre esse filme e sabia que ele poderia me trazer algumas dessas respostas.

Em Até o último homem conhecemos Desmond Doss, um jovem que alista-se para servir no exército americano durante a segunda guerra mundial. Tudo estaria certo, se não fosse pela sua religião. Desmond é Adventista e quer servir como médico, recusando-se a pegar em uma arma e a tirar vidas. Ele quer ir para a guerra para salvá-las.

Após passar pelo treinamento e conseguir partir para a batalha, Desmond mantém sua promessa, indo pras linhas de frente sem nada pra lhe proteger. Apenas sua coragem, sua fé e determinação em resgatar os soldados feridos. 


 
O filme mostra um trabalho incrível, trazendo a realidade nua e crua de uma guerra. Nada de munição infinita. Nada de cenas onde o protagonista fica dançando na tela enquanto os inimigos tentam acertá-lo e magicamente ele desvia de todas as balas.
O filme é baseado em fatos reais, e é o que o torna tão chocante. Desmond salvou dezenas de soldados feridos e ajudou o soldado americano a vencer a batalha histórica de Okinawa, onde mesmo desarmado salvou 75 soldados e por tal feito ganhou uma medalha de honra, tornando-se a primeira e única objecção de consciência a receber tal mérito. (Fonte Wikipédia).

Sempre gostei de histórias sobre a segunda guerra, e apesar de toda a crueldade que ela representou, traz esperança conhecer a história de homens como Desmond que armado apenas de coragem ajudou a salvar homens que sem ele teriam perecido no campo de batalha. São histórias como essa que enchem nossos corações e nos fazem acreditar que a humanidade ainda pode ser salva.

Se você não gosta muito de filmes de ação, ou que falem sobre guerra, peço que deem uma chance a obra, pois ela vai lhes surpreender apenas pela história desse homem. E, se assim como eu, você gosta desse tipo de filme, acesse logo o catálogo da Netflix e dê play nesse filme.


10 Comentários

  1. Olá,
    Bom, não muito fã de filmes que tenha guerra mas esse sim me deixou curiosa para assistir. Deve ser algo incrivel sobreviver em uma guerra, ajudar os outros e também tenta se ajudar para não acontece nenhuma tragedia. Gostei bastante!

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito de filmes que retratam a guerra, principalmente quando são baseados em fatos reais, dentre os muitos que assistir todos retratam um homem que quer matar o inimigo, e nesse filme em essencial retrata um personagem que por causa da sua religião, serve ao exercito para salvar vidas. Por esse fator me interessei em dar uma chance a esse filme, e pelo que parece acho que vou curtir.

    ResponderExcluir
  3. Oi Cass! Eu gosto bastante de filmes nesse estilo. E saber que ele não é daquele tipo que o protagonista desvia de todas as balas magicamente é melhor ainda. Apesar do horrores que deve conter no filme, fiquei bastante curiosa para ver o Desmond salvando tantas vidas. Beijoss

    ResponderExcluir
  4. Oi Cass! Nossa, que tema legal, realmente! Quero assistir, não conhecia!
    Adorei ler sua opinião!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Histórias sobre a segunda guerra também sempre me chamaram atenção. Tem todo o lado dramático e tenso desses tempos, mas também um tom de esperança, de que mesmo em momentos horríveis como esses as pessoas se unem para fazer o bem umas pelas outras como podem. Parece que o filme consegue passar essa ideia e achei interessante o lado religiosa do personagem no contexto da história. Vi muitos elogios para esse filme e é um que gostaria de ver. Vou tentar agora!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Cass
    Tenho esse filme na minha lista que quero assistir. Adoro histórias assim e sem dúvidas agora que sei o quanto você gostou fiquei ainda mais curiosa. Nada como um filme real e com uma mensagem boa. Obrigada pela dica.


    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  7. Cass!
    Gosto demais de filmes (e livros) baseados na segunda guerra e admirei ver que o protagonista continuou a seguir seus preceitos religiosos, mesmo em lugar tão violento, onde matar se faz necessário.
    Não é à toa que o protagonista vem se destacando como um ótimo ator em papéis tão diferentes do Homem-Aranha que ele protagonizou.
    “Sê humilde para evitar o orgulho, mas voa alto para alcançar a sabedoria.” (Santo Agostinho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Tenho certeza que irei amar esse filme!
    Amo Segunda Guerra Mundial. Gosto muito de ouvir e ler relatos sobre ela.
    Estava mesmo procurando um filme para assistir nessa noite de sexta feira!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  9. Oi Cass.
    Ja gostei do filme sem nem assistir, eu adoro esse tema de guerra Principalmente quando retrata A segunda guerra mundial que dos fatos Históricos é o que mais gosto de ler e conhecer sobre.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Cass!
    Não sou fã de filmes que falam sobre guerra mas curto filmes de ação e fiquei muito interessada em conhecer a história de Desmond Doss, sua coragem e fé são admiráveis... Valeu pela dica, espero assistir Até o Último Homem em breve.
    Bjos!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário!
Se tiver um blog, deixe o link que visitaremos assim que possível ;)