Título original: Ten Tiny Breaths
Editora: Fábrica 231
Ano: 2016
Páginas:320
Compare e Compre: Saraiva | Amazon

Sinopse:
Kacey Cleary não chora, não suporta o toque das pessoas e canaliza sua energia para treinos intensos de kickboxing. Tudo isso depois de um ano de reabilitação física e de mergulhar num mundo de drogas e álcool para tentar lidar com a perda dos pais, da melhor amiga e do namorado, num acidente de carro do qual ela foi a única sobrevivente. Protagonista de Respire, primeiro livro da série Ten Tiny Breaths, sucesso de K.A. Tucker que chega ao Brasil pelo selo Fábrica 231, Kacey chegou ao fundo do poço, mas resolve lutar para sair de lá por Livie, a irmã caçula. Depois de irem morar com uma tia religiosa fanática e seu marido alcoólatra, as duas fogem para Miami para tentar recomeçar, e Kacey terá que enfrentar seus fantasmas para derrubar o muro que ergueu ao seu redor. Às vezes, respirar torna-se uma missão quase impossível, mas K.A. Tucker mostra que é preciso neste romance sobre perdas, amizade, amor e superação.



Havia muito tempo que eu não lia um N.A. E havia muito tempo que um livro não me surpreendia tão positivamente como este o fez. Quando li a sinopse de Respire, imaginei encontrar um livro com forte teor emocional e me surpreendi da forma que os sentimentos foram retratados nessa obra. 

Após perder os pais, a melhor amiga e o namorado em um acidente de carro onde Kacey foi a única sobrevivente, ela entrou em um mondo sombrio de drogas, bebidas e sexo a fim de afogar a sua dor. Mas por sua irmã mais nova ela resolve lutar para se reerguer.

"A camada de gelo sobre meu coração derrete. Decido que talvez possa 'tentar' ser amiga de Storm Metthews, com peitos falsos e gigantescos e tudo. "


 Kacey e a irmã mais nova, Livie vão morar com a tia fanática religiosa e seu marido alcoólatra após o acidente. Querendo um recomeço para as duas, elas fogem rumo a Miami. Kacey então terá a difícil missão de manter os fantasmas do seu passado enterrados. Ela precisa tentar. Precisa fazer isso por sua irmã. E graças aos treinos intensos de kickboxing, ela consegue descarregar sua raiva entre socos e chutes.

Ao chegar a Miami, Kacey conhece um vizinho lindo gostoso de morrer que mexe profundamente com suas emoções. Mas será que ela está preparada para deixar alguém penetrar a armadura em que ela se blindou? Será que ela está preparada para deixar que as pessoas a conheçam verdadeiramente e a se abrir para outra pessoa?

"- Não é cansativo? - A ponta de seu polegar acaricia suavemente meu pescoço.
- O quê?
- Manter as pessoas afastadas."

 
Quando peguei esse livro para ler, imaginei encontrar uma leitura densa, com um forte teor emocional em suas páginas, devido a sinopse trazer uma tragédia na vida da protagonista. Mas não é exatamente isso o que encontramos. Temos um romance, amizade, amor fraternal e uma linda história de superação.

Mas se você imagina uma protagonista cheia de mimimi e que chora o livro inteiro pelo o que lhe aconteceu, está enganado. A Kacey tem sim dificuldade pra lidar com seus traumas, mas a forma como ela lida com isto não é dramática ou irritante. É algo real, algo em que conseguimos nos colocar no lugar dela. 

" - Tudo bem, Doutor Ditador. - resmungo, me jogando na cadeira que ele me oferece.
- Obrigado, Paciente Pé no Saco."

 
A escrita da autora é super fluida e gostosa de ler. Você consegue mergulhas na história e se envolver a ponto de se passar horas sem que você se dê conta. O enredo é diferente e, de certa forma, tocante. Mas eu achei um pouco previsível. Antes da metade do livro eu acabei desvendando o mistério principal da trama e isso me decepcionou um pouco, pois perdi o “elemento surpresa”. Fora isso, não tenho do que reclamar do livro.

Ler esse livro me ajudou um pouco a enfrentar meus próprios traumas, abriu meus olhos para algumas coisas que eu estava reprimindo e isso tornou a leitura ainda mais especial para mim.


9 Comentários

  1. Li esse livro no começo do ano, e também imaginei pela sinopse que seria uma daquelas estórias dramáticas que iria nos fazer chorar, mas me surpreendi com a trama. Principalmente pelo fato de que a personagem mesmo com todos seus problemas internos em aceitar toda uma dor, ainda sim consegue se abrir para uma nova amizade, que acaba construindo uma família através desse amor. Enfim, um livro que gostei muito do que li, e já quero a continuação.

    ResponderExcluir
  2. Esse livro parece ser bonito mesmo e gostei de ver que a personagem não é do tipo que chora pelos cantos. Ela passa por algo ruim mas vai superando isso. Acho legal que a trama não gire em torno da tragédia e seja totalmente triste, que tenha essa superação, que mostre romance e amizade e como a personagem tenta lidar com seus traumas.
    Parece muito bom e é um livro que está na minha lista de leituras ^^

    ResponderExcluir
  3. Oi, Cass
    Gostaria de ler esse livro, apesar de não ser uma prioridade. Sabendo que a escrita é boa e tem toda uma história de superação, já é suficiente para me atrair para leitura. Tenho certeza que é uma ótima dica, apesar de ser previsível.


    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  4. Oi Cass.
    Fiquei bastante intrigada para conhecer a história, o fato dela não ser aquelas personagens frecurentas que chora por qualquer coisa ja me deixou feliz, enfim preciso ler com certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Cass!
    Tão bom quando um livro pode nos abrir os olhos em relação a momentos de nossa vida que estão trazendo problemas, né?
    Bom ver uma protagonista que não se curva às dificuldades por que passa e tenta superar e tocar a vida para frente.
    Estou com esse livro aqui e nem sabia que era tão bom.
    FELIZ DIA DAS MÃES!
    “Sê humilde para evitar o orgulho, mas voa alto para alcançar a sabedoria.” (Santo Agostinho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Cass!
    Como não curto personagens principais cheias de mimimi e que choram o livro inteiro pelo que lhe aconteceu de mal, fico feliz em saber que a Kacey não é assim pois pretendo ler Respire, fiquei muito curiosa para saber mais sobre a história da Kacey e conhecer também esse vizinho lindo gostoso de morrer ;)
    Valeu pela dica.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  7. Não sabia que a historia era um N.A. Jurava que era uma fantasia ou algo do tipo!
    Gostei. Faz tempo que eu tbm não leu um N.A. E gosto muito de livros que tratam sobre traumas e superações!
    Acho que lerei!

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Gostei de sua resenha, a historia me deixou bastante emocionada só de imagina perdeu alguém que nós amamos e tenta se levantar, lutar contra isso todos os dias e algo incrivel. A trama e super interessante e faz você pensa sobre nós mesma.. com certeza estará na minha lista de leitura!

    ResponderExcluir
  9. Oi Cass. Gosto muito de livros superação. Que bom que a protagonista não passa o livro todo chorando. Quero muito pegar o livro para ler e saber como a Kacey enfrentou tudo isso. Beijoss

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário!
Se tiver um blog, deixe o link que visitaremos assim que possível ;)