Fala aí meu velho, tudo em cima?( Perceba a ironia aí tá bom?!) Há 04 anos eu não vejo seu rosto, e provavelmente nunca voltarei a ver! mas isso não me impede de vez ou outra imaginar como vc estaria...um quase cinquentao! Talvez com a cabeça salpicada com uns fios brancos, um barrigão de cerveja, ou uma barriga negativa( vai saber, vc que era todo vaidoso) de barba, ou bigode...naah, vc com certeza estaria com o rosto sem nenhum pelo! 
E as roupas?! Provavelmente vc não iria aderir nenhuma nova moda, iria andar por aí com seu bermudao, sandálias, e uma blusa(de preferência preta ou branca). Valeu por deixar o gene da frescura comigo!
E você que achava o Orkut um máximo, nem imagina o que a internet se tornou...ah, tem uma coisa chamada whatsapp que é de mensagem instantânea! Sim, a gente pode mandar mensagem do celular de onde estiver pra qualquer lugar. Você seria aquele que visualiza e não responde que eu sei.
O governo está uma negação...agora que eu já não sou mais uma criança tapada seria legal ter uma conversa sobre política com você...pensando bem seria legal ter uma conversa com você sobre qualquer coisa no geral mesmo! Será que a gente ia concordar em algum assunto? Talvez nao. Mas eu ia amar discutir com você, só pra você ver como eu fiquei afiada...na verdade não tanto, mas finge que sim.
Pensa num tanto de filme bom que estão fazendo... Tu ia amar! A gente poderia passar a tarde de domingo, ou na tua folga assistindo uns desses. Pelo Netflix (é um trem de ver filme mto da hora) ou a gente poderia baixar mesmo...pai, sinto lhe dizer que as locadoras foram extintas.
Eu ia colocar você pra assistir game of thrones comigo! E te mostrar que o meu gosto pra filme melhorou muito...
Pois é pai, as coisas aqui estão bem diferentes desde quando você partiu...você brigaria comigo se eu chegasse em casa depois do horário? Você aguentaria a minha ansiedade diária? Eu brigaria com você por não me compreender? A nossa rotina seria a mesma? Nós gostaríamos de quem nos tornamos?
Tantos questionamentos hein, ainda bem que passageiros. Ah, deixa eu falar que depois que tu se foi eu me aproximei de Deus! Ele me ensinou algo, que é a gratidão...e a gratidão substituiu o vazio, o rancor, a tristeza que se formou em mim por não ter mais você. Eu fiquei grata por ter tido um pai igual você...que no meio de tanta gente Ele escolheu você pra ser meu pai aqui na terra. Ele tirou a tristeza e me deu a alegria de ter passado 16 anos da minha vida com você. Quando Ele te tirou de mim, Ele me quebrou, e eu não entendi o que eu entendo agora. Eu precisava me tornar outra pessoa, e eu ainda não sei por quem ou pra quem, mas eu sou grata! A você e a Ele.
Eu espero que a sua alma tenha encontrado o descanso que esse mundo não te deu. Porque a minha já encontrou! Eu amo você 






12 Comentários

  1. Oi Rapha, uma carta emocionante, achei linda e gostei especialmente do paragrafo que fala da aproximação com Deus e que mesmo em meio a dor ela conseguiu absorver algo bom. Gostei mesmo, parabéns! ;)

    ResponderExcluir
  2. Bonita essa carta. Tem um tom de saudade e muito amor, dá pra perceber a falta que faz mas também tem um lado mais positivo, como dar um alô sem tanta dor envolvida...pensar em tudo que poderiam fazer, mas ao mesmo tempo que isso deixa triste também não deixa... aaah, não sei explicar, mas ficou muito legal ^^

    ResponderExcluir
  3. Uau! Que palavras, que sentimento, que emoção ao ler esse conto!
    Sinceramente me deixou com lágrimas nos olhos.
    Penso naqueles que perdi e me faço esses questionamentos também. E se...?
    Não tenho muito o que dizer, só parabéns pelas belas palavras e pela forma que você as colocou, nos deixando bem emocionados mesmo.
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  4. De arrepiar cada palavra! As vezes não paramos para pensar nas mudanças das coisas, sabe? Não paramos para pensar nas coisas boas ( que podemos contar) e nas coisas que mudaram para pior. Mas são detalhes. As vezes não paramos para falar sobre os sentimentos, envolvidos em nossa rotina maluca!As vezes é importante e repensar nossas atividades, com aqueles que vivemos e com desconhecidos também. Lindo conto mesmo! Parabéns!!

    ResponderExcluir
  5. Olá, me identifiquei muito com o conto (belíssimo por sinal), pois perdi o meu pai com 16 anos também. Só percebemos a importância das pessoas quando elas se vão, o texto acima nos motiva a valorizar essas pessoas. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Rapha!!
    Adorei o conto super interessante!! Sem dúvida mexe muito com o leitor por falar de perda, saudades e aproximação de Deus!!
    Parabéns!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  7. Rapha!
    Depoimento importante e sensível.
    Temos mesmo que encontrar Deus em nossas vidas e Ele nos sustentará para enfrentarmos a dor que seja, até da perda de um pai...
    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Ola!
    Uma ótima carta para mostra o sentimentos para o pai. É uma mensagem linda e com certeza um conto maravilhoso.

    ResponderExcluir
  9. Acho esses contos do blog maravilhosos!
    Gostei bastante desse e é uma ótima carta que mostra os sentimentos que tem pelo pai!
    Muito bom.

    ResponderExcluir
  10. Oi Rapha, nossa que lindo, me tocou muito,mesmo eu graças a Deus não tendo passado por uma perda com um parente tão próximo (pai, mãe e irmão), mas esse conto me fez lembrar muito do meu primo que morreu de uma forma repentina e triste :'(

    A perda nunca é nada fácil, mas creio que tudo é um processo, e que com Deus na frente você passa de inconformidade a aceitação e começa a se concentrar nas boas lembranças e em como a pessoa queria que você estivesse atualmente: feliz!

    Ai, fiquei agora bem pensativa, graças a Deus que tenho o meu pai ainda comigo <3

    ResponderExcluir
  11. que lindo :'( as vezes penso em fazer a mesma coisa... escrever um texto, conversando com ele, porem seria só lagrimas, já que nenhuma palavra é o bastante pra dizer o quanto eu sinto falta dele, porém seria um texto parecido com o seu, sobre roupas kkkkk meu pai teria aquela barriga de cerveja que ele ja estava conseguindo, porém estaria bem mais novinho que o seu, não sei se ele se orgulha da pessoa que sou agora, mesmo que tenha se passado apenas 3 meses ... muita coisa mudou dentro de mim nesse pouco tempo. Mas vai ter uma hora em que a saudade vai gritar tão alto que vou ter que colocar tudo pra fora, e achei isso uma otima ideia.

    ResponderExcluir
  12. Meu coração tá tão pequenininho agora, Rapha!
    Que texto lindo. Emocionante. Sensível. E que passa tanto do seu eu. Carta linda. Belas palavras e que tocam ao coração.
    Sei nem o que falar. Estou sem palavras do tanto que minha garganta apertou aqui.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário!
Se tiver um blog, deixe o link que visitaremos assim que possível ;)